Todo conteúdo deste blog é publico.

Todo conteúdo deste blog é publico. Copie, imprima ou poste textos e imagens daqui em outros blogs. Vamos divulgar o Espiritismo.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO

Cap. 16 - SERVIR A DEUS E A MAMON

Desigualdade das Riquezas

8 – A desigualdade das riquezas é um dos problemas que em vão se procuram resolver, quando se considera apenas a vida atual. A primeira questão que se apresenta é a seguinte. Por que todos os homens não são igualmente ricos? Por uma razão muito simples: é que não são igualmente inteligentes, ativos e laboriosos para adquirir, nem sóbrios e previdentes para conservar. Aliás, é uma questão matematicamente demonstrada que, supondo-se feita essa repartição, o equilíbrio seria rompido em pouco tempo, em virtude da diversidade de caracteres e aptidões; que, supondo-a possível e durável, tendo cada um somente o necessário para viver, isso equivaleria ao aniquilamento de todos os grandes trabalhos que concorrem para o progresso e o bem estar da humanidade; que, portanto, supondo-se que ela desse a cada um o necessário, desapareceria o estímulo que impulsiona as grandes descobertas e os empreendimentos úteis.

Se Deus a concentra em alguns lugares, é para que dos mesmos ela se expanda, em quantidades suficientes, segundo as necessidades.

Admitindo-se isto, pergunta-se por que Deus a concede a pessoas incapazes de fazê-la frutificar para o bem de todos. Essa é ainda uma prova da sabedoria e da bondade de Deus. Ao dar ao homem o livre arbítrio, quis que ele chegasse, pela sua própria experiência, a discernir o bem e o mal, de maneira que a prática do bem fosse o resultado dos seus esforços, da sua própria vontade. Ele não deve ser fatalmente levado a um nem ao outro, pois então seria um instrumento passivo e irresponsável como os animais.

A fortuna é um meio de prová-lo moralmente; mas como, ao mesmo tempo, é um poderoso meio de ação para o progresso, Deus não quer que permaneça improdutiva, e é por isso que incessantemente a transfere.

Cada qual deve possuí-la, para exercitar-se no seu uso e provar a maneira por que o sabe fazer. Como há a impossibilidade material de que todos a possuam ao mesmo tempo, e como, se todos a possuíssem, ninguém trabalharia, e o melhoramento do globo sofreria com isso: cada qual a possui por sua vez. Dessa maneira, o que hoje não a tem, já a teve no passado ou a terá no futuro, numa outra existência, e o que hoje a possui poderá não tê-la mais amanhã.

Há ricos e pobres porque, Deus sendo justo, cada qual deve trabalhar por sua vez.

A pobreza é para uns a prova da paciência e da resignação; a riqueza é para outros a prova da caridade e da abnegação.

Lamenta-se, com razão, o triste uso que algumas pessoas fazem da sua fortuna, as ignóbeis paixões que a cobiça desperta, e pergunta-se se Deus é justo, ao dar a riqueza a tais pessoas.

É claro que, se o homem só tivesse uma existência, nada justificaria semelhante repartição dos bens terrenos; mas, se em lugar de limitar sua vida ao presente, considerar-se o conjunto das existências, vê-se que tudo se equilibra com justiça. O pobre não tem, portanto, motivo para acusar a Providência Divina, nem para invejar os ricos, e estes não o têm para se vangloriarem do que possuem. Se, por outro lado, estes abusam da fortuna, não será através de decretos, nem de leis suntuárias, que se poderá remediar o mal. As leis podem modificar momentaneamente o exterior, mas não podem modificar o coração: eis porque têm um efeito temporário e provocam sempre uma reação mais desenfreada.

A fonte do mal está no egoísmo e no orgulho. Os abusos de toda espécie cessarão por si mesmos, quando os homens se dirigem pela lei da caridade.
Fonte da imagem: Internet Google.

6 comentários:

  1. Bom dia amigo Carlos!! Como é bom estar aqui, nesta manhã tão linda!! Acredito que uma das provas mais difíceis é a da riqueza, pois o brilho do ouro cega o homem, exaltando o orgulho, egoísmo, sensualidade, etc. Por isso Jesus já dizia, que mais fácil é passar um camelo pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus. E a maioria ainda não têm condições de ter a riqueza em suas mãos, e fazer bom uso dela, seguindo os propósitos de Deus.
    Tenha uma ótima quarta-feira, amigo!! Luz e paz para você e família!
    Beijos!♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi querida Mari, realmente as tentações da riqueza são muitas.
      Beijos,
      Carlos

      Excluir
  2. UMA DAS PROVAS MAIS DIFICEIS POR QUE OS HOMENS PASSAM É O DESAPEGO PELO OURO PELAS RIQUEZAS PELO LUXO O HOMEN CARREGA CONSIGO A NECESSIDADE DE APARENTAR AS RIQUEZAS SUAS POSSES,DIFICIL É DESAPEGAR-SE DOS VALORES MATERIAIS E ENTREGAR-SE AO QUE REALMENTE TEM VALOR EM NOSSA VIDA E APRENDIZADO AS COISAS DO ESPIRITO DA ALMA É DIVIDIR COMPARTILHAR BENS ADQUIRIDOS PARA SÓ ASSIM PODERMOS DIZER APRENDI SOBRE A CARIDADE E A PRATICO DIARIAMENTE,UM TEXTO LINDO FORTE MARAVIHOSO AMIGO COM MUITAS COISAS QUE DEVEMOS TER COMO META S EM NOSSA CAMINHADA,PARA PODERMOS ALCANÇAR AS GRAÇAS DO PAI
    UM ABRAÇO DE BOM DIA COM CARINHO MARLENE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Marlene, o difícil é entender que desta vida nada levaremos em valores materiais.
      Beijos.
      Carlos

      Excluir
  3. A riqueza é a prova mais difícil, pois é muito fácil debandarmos para o lado do prazer, do egoísmo, exaltando a matéria em detrimento do espírito. Por isso, aqueles q a possuem, precisam de muito equilíbrio.Muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Denise, com nossa pouca evolução nosso apego materialista é muito forte e aí esta a prova do desapego.
      Beijos,
      Carlos

      Excluir