Todo conteúdo deste blog é publico.

Todo conteúdo deste blog é publico. Copie, imprima ou poste textos e imagens daqui em outros blogs. Vamos divulgar o Espiritismo.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011


Livre Arbítrio


Conhecereis a Verdade e a Verdade vos tornará livre.

O livre arbítrio é a faculdade que permite ao homem edificar, conscientemente, o seu próprio destino, possibilitando-lhe a escolha, na sua trajetória ascensional, do caminho que desejar.

Limitado a princípio, vai-se expandindo à medida que o homem cresce em espiritualidade.

Quanto mais evoluído o ser, mais amplo o seu livre arbítrio, maior o seu direito de fazer certas escolhas, no campo da vida, assumindo assim, apouco e pouco, o comando definitivo de sua ascensão.

Livre arbítrio e responsabilidade individual desenvolvem-se, simultaneamente, no aprendizado humano.

O homem de evolução primária tem o livre arbítrio limitado, restrito.

Equivale ao sentenciado que a lei pune, sem transigências, submetendo-o à reclusão onde melhor convenha aos interesses da lei e da sociedade.

A sociedade e a lei não confiam nele.

O homem de evolução mediana tem sua esfera deliberativa menos restrita.

Corresponde ao recluso que, submetido à disciplina dos códigos, recebe dos códigos certas concessões, geralmente atribuídas aos que, no cumprimento de suas penas, demonstram boa vontade e obediência, respeito e compreensão.

O homem evolvido é o ex-sentenciado, o que já se libertou e corrigiu.

Provas e expiações, disciplinações e corretivos foram-lhe o caminho para a libertação definitiva.

Nada mais deve à lei e colabora, na sociedade, para que se restaurem a justiça e a fraternidade, a harmonia e o progresso.

E' livre para agir, porque discerne o bem do mal, a verdade da mentira, a luz da sombra.

Conhecendo a Verdade, a Verdade o fez livre.

De sua atuação resultam o trabalho e a prosperidade, o fortalecimento e a segurança das peças que constituem, que formam o maquinismo das coletividades.

Um dia, no curso dos milênios, o nosso livre arbítrio se harmonizará plenamente com a Verdade Total, com as deliberações superiores.

Nesse dia saberemos executar, com fidelidade, o pensamento do Cristo, Mestre e Senhor Nosso.

Nesse dia, do qual ainda distamos muito, diremos com o apóstolo da gentilidade: "Não sou eu quem vive, mas o Cristo que vive em mim".

Tal se dará quando tivermos superado as imperfeições.

Quando nos integrarmos, em definitivo, pelo coração e pela inteligência, nos preceitos morais e fraternistas do Evangelho.

Sem aquisições elevadas, com base nos ensinos do Celeste Enviado, a liberdade nos leva a quedas e fracassos, que redundam, geralmente, em clamorosos débitos e amargas expiações.

Abusando da força - esmagamos os fracos.

Exorbitando do poder, através da liberdade mal dirigida - oprimimos os humildes.

Utilizando mal a inteligência - confundimos os menos esclarecidos.

Se o livre arbítrio é faculdade que se origina, em princípio, de aquisições intelectivas, o coração bem formado contribuirá, sem dúvida, para que seja ele exercido segundo os padrões da moral e da fraternidade, garantindo, no Grande Porvir, o triunfo do Espírito Imortal.

O livre arbítrio do homem não evoluído é como um espelho que o lodo das imperfeições desnatura, por algum tempo.

O livre arbítrio do homem de evolução mediana é como uma madrugada que espera o beijo do Sol.

O livre arbítrio do homem evolvido - do que se libertou da ignorância é como a face tranqüila de um lago, onde se refletem, no esplendor de sua radiosidade, os luminosos raios do astro-rei.


Livro: Estudando o Evangelho – Martins Peralva.

2 comentários:

  1. Bom dia amigo Carlos bom é poder estar aqui e ler esta postagem tão edificante,o livre arbitrio,
    como é importante o homem dizer eu posso fazer minhas escolhas tendo a certeza de que estou fazendo o certo o correto,como e impresindivel
    conhecer sempre mais do evangelho,e dos encinamentos de Deus,tenha um ótimo dia meu amigo
    na paz de Deus abraço Marlene

    ResponderExcluir
  2. Amiga Marlene, que bom você estar gostando das matérias.
    Deus te abençoe,
    Carlos

    ResponderExcluir